segunda-feira, 3 de janeiro de 2011


UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
ESPECIALIZAÇÃO EDUCAÇÃO PARA AS DIVERSIDADES E CIDADANIA

ALUNA: Sônia Dias Carvalho Santos
PROF: Rafael Bueno de Sousa
DISCIPLINA: Fundamentos da Democracia: Justiça e Cidadania
DATA: 27/09/2010

ASSOCIAÇÃO: VIVA SEM DROGAS

"A Droga é uma Droga. Por que não deixar de usar"?
O projeto sobre as drogas se apresenta em formato de seminário.
Não se trata de um projeto que objetiva o fim do consumo das mesmas, mas visa à conscientização dos alunos a respeito do mal que elas nos faz.
Utilizamos para isso a estratégia do seminário, filmes e palestras.
Mostraremos assim, as conseqüências maléficas das drogas no ser humano e sua extensão na família e sociedade.

HISTÓRICO
Anteriormente até a década de 90, a faixa etária predominante no ingresso das drogas, era mínima de 13 anos. Hoje em dia, esta faixa etária tem declinado de uma maneira preocupante e assustadora ao limite mínimo de 10 anos, com crianças portando armas de fogo e cometendo assaltos, matando pais de famílias.
Dados estatísticos dos órgãos policiais mostram que o trabalho repressivo junto às faixas etárias mais precoces, tem se tornado inócuo, havendo desgaste perante a opinião pública dos órgãos repressores e não resolvendo o problema.

JUSTIFICATIVA:
Este assunto é um problema causador de grande preocupação em nossa sociedade, pois hoje de forma abusiva, esta presente em todas as classes sociais. Assim se faz necessários debates e questionamentos que ajudem a encontrar soluções que atenuem ou erradiquem as causas desse problema. Acreditamos que com a prevenção e o conhecimento poderemos evitar uso indevido e generalizado das drogas. Usaremos para isso a estratégia do seminário, filmes e palestras, onde desenvolveremos ações conjuntas para sensibilizar e buscar a participação de todos, quanto a necessidade de juntos atenuarmos os prejuízos do uso indevido para si e para a sociedade.
Esperamos obter resultados positivos quanto a abordagem e os assuntos em grupo. Assim deveremos inicialmente, realizar o seminário em pequenos grupos, por faixas etárias, se possível, com faixas de idade mais propícias ao consumo das drogas.
Abordaremos também a questão da violência, do desinteresse, da falta de perspectiva dentro e fora da escola. Não cremos que estes encontros nos levem a erradicação desse problema, mais temos certeza, que eles contribuirão na conscientização dos alunos a respeito da tomada de ação para a solução da questão.
Com certeza, com ações coletivas, partes destas situações serão minimizadas. Através de informações cientificas, mostraremos as conseqüências maléficas das drogas no ser humano e sua extensão na família e na sociedade.

OBJETIVOS:
GERAL
Tem por objetivo, prestar à comunidade, através de serviços especializados, a promoção do bem-estar, da qualidade de vida para os indivíduos e comunidade. Sendo, através de ações clínicas, de conscientização, orientação, prevenção, educação e pesquisa, direcionados à comunidade, profissionais e demais órgãos do gênero. Bem como intervir, especificamente, a nível curativo e reabilitador na saúde das pessoas, principalmente quanto à dependência química.

ESPECÍFICO
• Contribuir na formação das ações antidrogas;
• Dar informações sobre drogas, mostrando que elas causam dependência mental e dependência física;
• Despertar o interesse dos alunos, educadores e pais e familiares na busca ou ações coletivas preventivas contra o uso desse estimulante;
• Oportunizar o debate e reflexões em torno dos fatores sociais, familiares, econômicos que influem no uso abusivo das drogas;
• Incentivar a erradicação do uso de drogas na sociedade.

DESENVOLVIMENTO
• Por meio de seminários com palestras, debates e apresentação de filmes, mostrando depoimentos de médicos, cientistas, pessoas que se drogam.
• Usar folderes, apostilas, com a finalidade de acompanhar os seminários e debates como auxílio na fixação dos assuntos e conteúdos abordados.
• Filmes que mostrassem assuntos de adolescentes envolvidos com o tema a discutir. Após o filme promover debates, estimulando as opiniões dos assistentes e formação de consciência antidroga.
• Palestras especiais com o tema:
• Convidar alguém de entidade para discursar a respeito das ações preventivas no combate ao uso;
• Envolver alguém com experiência religiosa para mostrar a visão espírito cristã, que seja estudioso da causa e que estimule o debate de propostas de prevenção esse mal.
• Oferecer fontes de experiências saudáveis e de qualidade de vida, como a arte, o esporte, o lazer rico e diversificado, a ação social (por exemplo, de voluntariado), a vivência ambiental, a formação de grupos equilibrados de amigos.
PÚBLICO ALVO:
Crianças, adolescentes e adultos, famílias, profissionais, população de rua e sociedade em geral. Ênfase em dependes química.

RECURSOS HUMANOS
Prefeito Municipal, (políticos) médicos, psiquiatra, psicólogo, fisioterapeuta, assistente social, pedagoga, coordenador, secretário, policiais, juiz e parceria com outros órgãos como: conselho tutelar, CRAS, CREAS, etc.
OBS: O cronograma fica a critério de cada escola.

Referências:
Site: www2.uol.com.br/aprendiz/n.../id301003.htm