terça-feira, 1 de junho de 2010

MÍDIAS E LEITURA

PROJETO: MÍDIAS E LEITURA

1.INTORDUÇÃO

Percursos metodológicos entre as áreas de comunicação e educação vêm sendo trilhados a muito tempo, de forma paralela, sem que os especialistas desses campos do conhecimento consigam chegar a um denominador comum para a interface necessária no uso adequado da mídia na escola. Nas sociedades modernas, em que os meios de comunicação interferem diretamente na formação/deformação das pessoas, sejam elas crianças, jovens ou adultos, não há mais como negar a importância de pesquisas integradas entre esses dois campos de estudo para resultados mais eficazes nos procedimentos pedagógicos das escolas.

1.1 JUSTIFICATIVA

A leitura é um bem essencial pra o domínio da leitura no mundo contemporâneo é essencial para o exercício da cidadania, para viver com autonomia, com plena consciência de si próprio e dos outros, para poder tomar decisões face à complexidade do mundo atual. Determinante no desenvolvimento cognitivo, na formação cultural, no acesso à informação e ao conhecimento, na expressão e no juízo crítico, entre outros domínios, são uma competência básica que todos os indivíduos devem adquirir para poderem realizar-se como pessoa, como cidadão e como profissional na sociedade contemporânea.

1.2 PROBLEMÁTICA

Como se dá o processo de compreensão de conteúdos programáticos nas salas de aula em face da utilização cada vez mais freqüente dos recursos midiáticos? Como lidar com o conhecimento formal, necessário e indispensável à formação dos alunos, quando são permeados/ atravessados pela velocidade do mundo da notícia, pela transformação do real em virtual e pela dificuldade crescente de compreensão na leitura dos textos e, conseqüentemente, na leitura do mundo? Em que medida a crescente utilização da mídia na escola pode melhorar ou servir como estímulo ao processo de cognição dos alunos? A sacralização da mídia como ferramenta didática contribui, de fato, para uma leitura crítica do mundo real?

1.2 HIPÓTESES

Ter acesso à informação não basta. É necessário saber lidar com ela: analisá-la, aprofundá-la, decodificá-la e, após, fazer uma síntese do que realmente interessa, do que é útil, do que transmite de novo, das relações que podem ser estabelecidas, aí, então, se estará construindo conhecimento.
Assim, é preciso que haja orientação sobre como transformar as informações relevantes em conhecimentos. Levando a criança a um ser crítico diante de tudo que está exposto, não se deixando influenciar.
Dessa forma entende-se que para preparar pessoas atuantes se faz necessário incentivar o espírito crítico e reforçar nos educandos o prazer em aprender e atingir seus objetivos.

2.OBJETIVOS:
2.1 GERAL
Promover o Hábito da leitura por meio dos diversos recursos presentes na Mídia e articulando os atuais temas como ferramenta na oralidade da construção e produção de textos.

2.2 ESPECÍFICOS

· Ampliar o repertorio de leitura.
· Encorajar o pensamento criativo.
· Praticar a escrita e formar palavras.
· Desenvolver a escrita e oralidade

3.METODOLOGIA

Não adianta ter tecnologia se o educador não tem metodologia. Em sua aula o professor tem que usar a tecnologia como ferramenta e conciliar a metodologia. Ambas devem caminhar para propiciar atividades que ajudem na formação do educando. Métodos voltados para que o aluno aprenda a utilizar a tecnologia, essa ferramenta é importante para o desenvolvimento, assim a aprendizagem será significativas em uma linguagem clara e objetiva.

3.1 RECURSOS DIDÁTICOS

· Revista Amiguinho 1
· Revista (de qualquer público alvo);
· Caderno de registro das atividades com a identificação do projeto;
· Livro de história infantil (contos de fadas)
· Gibi (Turma da Mônica);
· Fazer leitura coletiva.

4.CRONOGRAMA
Duração 1 mês

5.AVALIAÇÃO

Observação continua durante todo o projeto, com registros anotações e participação e interação da turma.

6.REFERÊNCIAS

LIVRO: Metodologia do Ensino Fundamental Vol. 1- FUNAPE
http://www.cedes.unicamp.br
REVISTA Amiguinho